Historico



- 01/11/2009 a 07/11/2009
- 11/10/2009 a 17/10/2009
- 04/10/2009 a 10/10/2009
- 06/09/2009 a 12/09/2009
- 30/08/2009 a 05/09/2009
- 23/08/2009 a 29/08/2009
- 16/08/2009 a 22/08/2009
- 09/08/2009 a 15/08/2009
- 05/07/2009 a 11/07/2009
- 21/06/2009 a 27/06/2009
- 14/06/2009 a 20/06/2009
- 07/06/2009 a 13/06/2009
- 17/05/2009 a 23/05/2009
- 10/05/2009 a 16/05/2009
- 26/04/2009 a 02/05/2009






Contador uol

Link-me

Link-Me



Creditos

Layout By Lecca
© Templates by Lecca
Blogger.com.br

Perfil

Um blog com as notícias mais relevantes sobre o universo de Twilight e seus atores.

Links amigos

Enquete

Quem será a melhor Victoria?
Rachelle é única!
Bryce vai arrasar!
Eu seria uma Victoria melhor.
Votar
resultado parcial...

Contador


SPEEDCOUNTER.NET - free counter!

Calendario

Assine

E AS BLOGUEIRAS AINDA ESTÃO VIVAAS!!
10h44|

Sim, ainda estamos vivaas!! aeee!!\o/\o/

Enfim, gente...muita, mas muita coisa mesmo aconteceu desde a última vez em que postamos algo aqui, então vamos fazer um resuminho do que tem rolado no mundo divo de TWG:

- Muuitas cenas novas de New Moon (fala sério,gente... já soltaram quase o filme todo...)

- Anunciaram que Taylor e Kristen fariam uma rápida passagem pelo Brasil, mas nada aberto ao público.

- O Fantástico faz uma promoção sobre TWG, com um prêmio "surpresa" (nós participamos..lalala)

- Kiki e Tay chegam ao Brasil, um menino beija nosso lobinho no aeroporto (segundo as más línguas). Uma multidão de fãs sortudos de SP monta um aglomerado na frente do hotel Hyatt, em que os dois estão hospedados. Enquanto nós, os azarados, choramos na cama por não podermos estar em São Paulo naquela hora, os fãs dementes invadiram o hotel umas vinte vezes durante a madrugada de sábado para domingo.

- Domingo pela manhã começa a tão esperada coletiva com os dois atores, e algumas revistas muito importantes acabam não participando de tudo (como Capricho e Rolling Stone). Pouco tempo depois do início da entrevista, ela acabou, não se sabe porque. u.u

- No mesmo domingo, o Fantástico exibiu uma entrevista minúscula com os dois, e mostrou os três vídeos vencedores (adivinhem só?! Não ganhamos. Mas o nosso tava melhor que um dos que ganhou *modo invejinha on*), e o encontro entre os seis com Tay e Kiki.

- Os dois vão embora do Brasil direto para o México, para continuarem promovendo a saga.

- Ficamos em casa chupando dedinho por não termos ido conhecê-los pessoalmente.

- Hoje, 04/11,faltam só 16 dias para a estréia de NM!! (15,se vc é VIP como nós e vai ver na sessão da meia noite)

 

E foi isso,pipou..

BeiJones, Ana e Li

 



Entrevista com Tay e Kiki aqui no Brasil
10h44|

Siim, ainda estamos vivas! \o/ Depois de um tempo sem postar, aqui estamos nós novamente. Essa entrevista foi feita pelo site Almanaque Virtual durante a visita do meu homem Taylor Lautner e Kristen Stewart ao Brasil =)

Desde a noite de Halloween, fãs se aglomeraram à frente do hotel Hyatt, em São Paulo, onde ocorreria a coletiva de imprensa de “Lua Nova”, com a presença dos atores Kristen Stewart e Taylor Lautner, que interpretam respectivamente, a mortal Bella Swan e o lobisomem Jacob Black na adaptação cinematográfica da obra literária de Stephenie Meyer. Mesmo a segurança acirrada não conteve os Twilighters (fãs da saga Twilight/Crepúsculo), que, durante a coletiva, derrubaram as grades e invadiram o saguão do hotel em busca de uma foto de seus ídolos. “Foi horrível. Eu cheguei a chamar um segurança e a fechar a porta. Tive medo de que alguém fosse pisoteado”, desabafou a fã paulista Anielli Guimarães, de 26 anos, que gastou mais de R$ 600 para se hospedar no hotel e ficar mais próxima de Kristen e Taylor. A confusão precisou da ajuda da polícia para ser controlada. Em seguida, todos voltaram a tomar seus lugares à frente do hotel, debaixo de guarda-chuvas para se esconderem do sol, forte na manhã paulista. Sem saber de tudo isso, do lado de dentro, Kristen Stewart e Taylor Lautner se derretiam pelos fãs brasileiros. “Ele são ridicularmente incríveis e amigáveis”, se derreteu Kristen, acompanhada por Taylor, que disse ter se surpreendido com a determinação dos fãs que passaram a noite na frente do hotel. Mesmo com essa vigia toda, o jovem ator confessou ter conseguido fugir para comer em uma churrascaria, algo que sempre quis fazer. “Valeu muito a pena! Desde sempre quis comer em uma churrascaria e adorei ter podido realizar isso”. As restrições quanto a perguntas pessoais e sobre o proxímo filme foram muitas, mas os atores – do seu jeito – deixaram escapar detalhes que aparentam não dizer muito, mas para os fãs, são preciosos. Um deles veio de Kristen que, ao responder sobre a paixão de Bella, trocou o nome de Edward pelo de Robert Pattinson, ator que o interpreta e que, segundo rumores e fofocas, anda levando esse amor para fora das telas e para dentro da vida real. Outro ótimo ponto foi a cumplicidade demonstrada entre os dois atores que, assim como seus personagens, têm grande afinidade. Kristen ajudou Taylor a responder algumas perguntas e se mostrou quase que como uma irmã mais velha. Confira abaixo o que ambos disseram durante sua rápida passagem pelo Brasil.

Quando a produção para “Lua Nova” foi confirmada, existiu possibilidade de contratarem outro ator para interpretar o papel de Jacob. Como foi receber essa notícia?

Taylor: No dia seguinte do final das filmagens de “Crepúsculo”, eu começei a malhar porque eu sabia que tinha que fazer alguma coisa para segurar o papel.

Kristen: E nesse ponto ainda não tínhamos um diretor. Então se isso não é dedicação eu não sei o que é.

Taylor (sorrindo): Sim, e foi uma dieta pesada e um trabalho duro, mas decidi focar no que eu podia controlar, que era me preparar mentalmente e fisicamente para o papel. Então foi isso que eu fiz.

Kristen: Todos nós sabíamos que ele era a pessoa perfeita para o papel e todos nós – o elenco e o pessoal da criação – não tínhamos dúvida de que tinha que ser ele. E estávamos certos.

Fãs histéricos na ComiCon e aqui. Como é lidar com isso?

Kristen: Na ComiCon foi a primeira vez que apresentamos o primeiro clipe de “Lua Nova”e eu estava muito nervosa. Quando lemos um livro, temos uma idéia muito pessoal sobre tudo que está ali, mas quando isso vai para o cinema, é como se fosse mais real. Então mostrar aquele primeiro clipe lá e ver a reação dos fãs foi incrível, porque eles aprovaram. Estamos aqui por causa deles, que são incríveis.

Taylor: Realmente, temos fãs empolgados em todos os lugares e é incrível contar com esse apoio, essa consideração. Eles são todos incríveis.

Como foi trocar a direção de Catherine Hardwicke para Chris Weitz?

Taylor: Eu não tive muita oportunidade de trabalhar com Catherine, porque tive umas quatro cenas em “Crepúsculo”, mas adorei trabalhar com Chris, que é um cara muito bacana, profissionalmente e pessoalmente.

Kristen: Catherine tem vários trabalhos incríveis independentes e muito do look de “Crepúsculo” se dá a isso, até porque nosso orçamento era bem menor. Com Chris, tudo cresceu e acho que pudemos investir mais psicologicamente em nossos personagens por consequência do trabalho que fizemos com Catherine. “Lua Nova” é mais vívido e mais profundo em vários aspectos.

 

Em sua opinião, qual a razão para o sucesso mundial da saga?

Taylor: Porque ela vai muito além dos vampiros e lobisomens. Seu combustível é formado de seus personagens, porque vivem dilemas de amor, amizade, e tantos outros que é fácil se relacionar com eles.

Kristen: Os vampiros e lobisomens são apenas artifícios na história que ajudam a criar situações mais interessantes para se ver, mas é como Taylor disse, são os personagens que importam. Se você é fã de fantasia, é legal também, mas não só por isso.

Como vocês fizeram para tornar Edward presente no filme, já que ele só “aparece” na mente de Bella?

Kristen: Queríamos ter certeza de que não existiria dúvida de que as visões que Bella tem de Edward são da sua cabeça, do que ela imagina ser o que ele diria a ela. Não queríamos que pensassem que fosse telepatia. Mostrar Edward ajuda nessa visualização e também porque ajuda as fãs de Robert (risos). Mas é que Bella se apaixona por Jacob e se Robert – perdão, Edward – não aparecesse no filme, o público diria “fica com o Jacob!¨. Tendo Edward presente faz com que todos tenham as mesmas dúvidas de Bella.

Taylor: E ajuda a criar o triângulo amoroso que será explorado em Eclipse.

Afinal, com quem Bella deveria ficar?

Taylor: (risos) Edward e Jacob são opostos completos. Mas acho que Kristen é quem deve responder essa (risos).

Kristen: (risos) Jacob é com quem Bella deveria ficar. A menina introvertida desaparece quando ela está perto dele. Mas quando meninas fazem escolhas certas quando se trata do coração? Edward é sua alma gêmea e se você acredita em destino, quem leu o quarto livro sabe que o destino de Jacob não era ficar com Bella. Ela não deve ficar com Jacob só porque é mais fácil.

Os livros são importantes para vocês no processo de criação de personagem?

Taylor: Muito. Nada teria funcionado se não tivéssemos lido os livros. Eles têm mais detalhes para completar as lacunas.

Kristen: Eu li o roteiro de “Crepúsculo” antes de ler o livro. Mas foi só depois de ler o livro que aceitei fazer o filme. O roteiro é como um outline para o filme. Toda vez que temos que fazer uma cena importante, voltamos ao livro e lemos o capítulo.

Qual a principal mudança de Bella em “Lua Nova”?

Kristen: Acho que é uma mudança natural. Em “Crepúsculo”, Bella é uma menina que não sabe o que está fazendo. Ela gosta de quem é, mas é por causa de Edward que ela passa a se conhecer melhor. E quando tudo que ela mais ama, o que a faz se sentir bem – que é ele – é tirado dela, a estrutura química dela é alterada. Ela não sabe mais o que fazer e só descobre a resposta graças a Jacob. Em “Lua Nova”, Bella amadurece. Ela se torna mais mulher.

Como foi trabalhar com os efeitos especiais?

Taylor: Eu fiquei suspenso por fios, completamente parado no ar para que eles colocassem o lobo digitalmente depois para a cena da transformação. Foi muito legal de fazer.

Kristen: E o legal é que eles colocaram os olhos do Taylor, tipo, não foi CG, foram os olhos dele no lobo e isso foi muito legal porque o fez expressar muita emoção.

Qual a cena preferida de vocês dos dois filmes?

Taylor: Eu sou um cara, então gosto de sequências de ação. Adorei a cena de luta no final de “Crepúsculo”, mas a cena que Bella tem um flashback quando é mordida por James foi muito legal e muito emotiva pra mim. E eu não acredito que disse isso em voz alta. (risos dele e de Kristen). Em “Lua Nova”eu gosto muito da cena que temos no quarto.

Kristen: (risos) É a minha preferida também! Temos uma cena no meu quarto onde meio que terminamos e voltamos a ser amigos em, tipo, dois segundos. Isso mostra muito sobre os personagens. Se o amor entre eles não fosse fraternal, nunca teríamos nos reconciliado em tão pouco tempo. Ah, e tenho que dizer que Taylor dispensou dublês para as acrobacias que Jacob faz para entrar pela janela nessa cena. Isso é incrível!

Taylor: E eu treinei tanto e tive apenas dois takes! (risos).

Kristen: Outra cena que gosto muito de “Lua Nova” é a reconciliação entre Bella e Edward, quando eu empurro ele para longe do sol em Volterra e digo algo do tipo “não morra. eu saio da sua vida, só não morra por isso”. E em uma troca de olhares, tudo que aconteceu antes, toda a dor, morre.

Por falar em reconciliação, Bella passa por momentos de muita tristeza em “Lua Nova”. Na mesma situação, o que vocês fariam?

Kristen: É difícil pensar assim porque acho que ninguém já amou tão absurdamente assim, como ela ama Edward. É algo além de amor no sentido total da palavra. Se fosse comigo, se fosse um namoro terminado, acho que faria isso. (Kristen faz cara de tristinha para Taylor, que ri. Todos riem). E ele (aponta para Taylor), por ser um dos caras mais decentes que já conheci, me diria algo que faria tudo ficar bem.

Taylor: Bem, eu diria que não era para ser.

Kristen: Viram? E isso é a melhor coisa para se dizer em uma situação dessas. (mais risos)

Taylor: Mas é verdade! Eu não ia querer impor uma situação, sabe? (risos constrangidos). Não sei o que faria. É uma pergunta difícil.

Após as entrevistas, Kristen Stewart e Taylor Lautner seguiram viagem para Cidade do México.

Em Lua Nova, Bella completa 18 anos e em sua festa de aniversário, um acidente a faz quase ser atacada por Jasper, irmão de Edward. Em um esforço para proteger a amada, Edward decide deixar Bella e Forks para trás. A jovem mergulha em uma depressão profunda e só consegue sair dela com a ajuda de Jacob, seu amigo que deseja ser mais do que amigo. Dividida entre o presente – Jacob – e o passado – Edward, que ainda a atormenta em visões que têm quando está em perigo, Bella precisa escolher o que fazer. Mas os problemas se agravam ao descobrir que vampiros não eram os únicos seres sobrenaturais a viver em Forks. Lobisomens andam por lá também e Jacob está no centro dessa confusão.

Lua Nova estréia em 20 de novembro e já conta com edição especial (Editora Intrínseca) com capa alusiva ao filme e poster incluso.

Fonte: www.almanaquevirtual.uol.com.br



Capitulo 2 - A conversa
14h35|


Não aquilo não era um sonho. Edward estava parado à minha frente, me encarando, seu sorriso torto era perfeito. E há alguns segundos atrás eu tinha falado tudo que eu pensava sobre ele. Que idiota eu era.

“E aí, Bella,não fala com um velho amigo seu?” ele me perguntou, pegando uma cadeira da outra mesa, se sentando ao meu lado.

Olhei ao nosso redor e vi que todo mundo do refeitório tinha se virado, nos olhando com atenção. Eu até podia ouvir as pessoas cochichando, querendo saber o motivo da atitude dele.

Eu o olhei e demorou uma eternidade para que conseguisse pronunciar alguma coisa.

“É.. e aí, Edward?” O que foi que eu falei? Que tipo de frase foi aquela? Fechei meus olhos, querendo socar a minha cara. Eu era MUITO idiota mesmo.

Ele deu uma risadinha e depois passou as mãos em torno dos ombros de Alice.

“E aí, maninha, quando é que você finalmente vai tomar juízo e passar a andar com a turma do seu irmão?” comentou e eu o encarei, com raiva.

Lá vinha ele querendo me azucrinar a vida.

Respira, Bella. Respira. Nada de emoções fortes. Lembre-se que ele é só um idiota. É um gato, mas ainda assim um idiota. - pensei, respirando fundo.

“Ai, Edward, já disse que eu não vou andar com você enquanto aquela patricinha metida a besta for a sua namorada. Portanto, como eu sei que você não dá ponto sem nó, vai desembuchando. O que é que você quer aqui?” ela falou, e deu um tapa no ombro do irmão, quando ele puxou uma mecha do seu cabelo curto.

Era inegável que eles eram irmãos. As brincadeiras, a maneira como eles se tratavam. Eu sempre quis ter um irmão, mesmo que fosse só pra viver na pancadaria com ele. Ainda assim era melhor ter um irmão para bater(ou apanhar) do que ser filha única.

“Calma maninha, olha só, é nisso que dá ficar andando muito tempo com pessoas como a Bella. Você tá ficando tão mal-educada.” Edward comentou, sorrindo e olhando para mim.

Eu sabia que estava ficando vermelha de raiva. E sabia também que de uma hora para outra ia socar a cara daquele garoto nojento que tentava ressuscitar a garota que eu fora na infância.

Mas ele não ia conseguir.

Eu respirei fundo mais uma vez e olhei para Mike e para Angela, que estavam prestando atenção em cada movimento meu. Angela estava rezando para que eu não perdesse a calma.

Já Mike, que apesar de ser contra qualquer uso de força bruta, abria uma exceção quando o assunto Edward Cullen. A porção de nerd falava mais alto. Ele odiava Edward.

Eu tentei me manter calma por mais alguns segundos, mas quando vi que não ia conseguir, resolvi saltar fora. Me levantei do nada, fazendo todos na mesa, e todos no refeitório, me olharem.

“Olha só, gente, pra mim o almoço acabou, tá? Tô indo para sala de aula. A gente se vê em outra hora, Alice.” falei, já saindo da mesa.

Ouvi a risadinha de Edward atrás de mim e ainda o escutei comentar:

“Grossa como sempre, nunca vai mudar. Num sei como vocês conseguem aturá-la! Alice, você realmente vai para o Céu, para aturar alguém tão estranho como Isabella Swan, não deve ser nada fácil.”


Antes que eu pudesse me controlar, o sangue já tinha subido pelo corpo, me fazendo voar em cima daquele garoto insuportável. Eu apliquei um golpe de direita naquele rosto lindo, sabendo que ia deixar marcas, sabendo que ia me arrepender depois.

Mas eu não ia deixar que ele continuasse falando mal de mim daquele ele pensava que era?

Idiota, estúpido, grosso. - pensei, ao vê-lo caído no chão, massageando o rosto machucado.

“Eu sabia que você ainda era assim, Bella. Sabia que você não ia se controlar. Continua a mesma garota recalcada de sempre, a mesma garotinha insuportável que resolve tudo na pancadaria. Você se acha a Dona da Verdade,não é? Acha que pode falar mal de todo mundo e depois quando eles falam mal de você, você resolve tudo aplicando socos e pontapés.” Edward resmungou, a mão no queixo que eu nocauteara.

Todo mundo me olhava, olhos de repreensão, olhos de pena, olhos de raiva.

As palavras de Edward me atingiram como uma bofetada. Ele estava certo. Era exatamente desse jeito que eu era. Aquilo estava começando a me fazer mal.

Descobrir quem eu realmente era da pior maneira possível não estava fazendo bem para a minha sanidade mental.

Nessa hora Jessica entrou no refeitório, acompanhada do diretor da escola.

Ah, porra, agora fudeu tudo.- pensei, deixando os palavrões escaparem através do meu pensamento.

Jessica já estava ao lado de Edward, com uma bolsinha de gelo no seu queixo, falando com voz de criança.

“Calma, amorzinho, eu vou cuidar de você.” ela ronronava, enquanto Edward tentava se livrar de seus cuidados médicos.

Ele só conseguia olhar para mim. Parecia que queria me matar. E eu merecia isso. Mas a verdade é que eu não me arrependia do que tinha feito.

Ele pediu, não foi? Quem manda mexer comigo?

Swan e Cullen, para a minha sala agora” o diretor Henderson ordenou, enquanto a secretária mandava os outros alunos para a sala de aula. O sinal já havia tocado.

Eu olhei para Alice, murmurando um baixo “Desculpe-me”, mas ela só sorriu e disse que a gente conversava depois.

Assim que o refeitório ficou vazio, o Sr. Henderson nos conduziu para a sua sala, Edward e eu andávamos calados ao seu lado, eu me sentindo perturbada com a sua presença tão próxima.

Chegamos à sala do diretor e ele foi direto ao ponto.

“ Eu já perdi as contas de quantas vezes tive que separar uma briga de vocês. Pensei que essa fase rebelde já tivesse passado, que tivesse ficado no jardim de infância. Mas vejo que não, não é mesmo, Srta Swan?” – ele me olhava agora, sua expressão era de tristeza. – “Você, a filha do Chefe de polícia,deveria ser mais calma e controlar esse seu temperamento enérgico”- deu um longo suspiro e eu sabia no que isso ia dar.

Olhei para Edward e ele estava muito calmo, ouvindo tudo que o diretor falava. A marca do meu soco estava ali no seu lindo rosto, uma mancha vermelha que eu sabia que ia no dia seguinte ia estar roxa.

Como essa não é a primeira vez de vocês aqui, acho que não preciso explicar o que vai acontecer, não é? A sala da detenção os espera.” Sr. Henderson avisou e eu revirei os olhos, exasperada. – “Seu pai será avisado, Swan e seu tutor será comunicado, Edward.” – apontou e Edward apenas se limitou a balançar a cabeça, concordando.

Como ele gostava de posar de bom moço. Aquilo me dava nos nervos.

O diretor nos dispensou e a secretária nos levou até a sala de detenção.

Ah, que grande porcaria.- pensei, ao ver a sala vazia.

Duas horas de detenção. Eu ia ter que suportar duas horas trancadas em uma sala ao lado de Edward Cullen? Só podia ser brincadeira né?

Mas qualquer garota daria a vida para estar no meu lugar.

Eu até estava gostando daquilo, eu poderia ficar admirando-o por duas horas sem nenhum problema. Mas o que estava pegando era a minha consciência pesada. E precisava pedir desculpas a ele.

E essa era uma parte muito difícil. Eu não costumava pedir desculpas. Nunca. E quando eu dizia nunca, era nunca mesmo.

Edward e eu entramos na sala vazia da detenção e eu fui me sentar no canto direito lá no fundo.

Eu não queria ter que aturar mais gracinhas dele. A secretária sentou na mesa em frente ao quadro magnético e Edward se sentou no lado esquerdo, o lado onde ficavam localizadas as janelas.

Ele olhava para o dia chuvoso de Forks, enquanto massageava seu queixo. Eu dei uma risadinha. Meu golpe nunca falhava. Não passei três anos lutando boxe para nada.

Procurei meu ipod no bolso do meu jeans, mas não o encontrei. Ah, mas eu mereço mesmo! Tinha deixado a droga do aparelho dentro da minha mochila, que a essa hora estava assistindo a maravilhosa aula de história da Sra. Jackson. Pelo menos eu tinha me livrado desse grande programa.

Fiquei ali sentava, olhando para os dedos, enquanto minha mente vagava longe.

Meu pai a essa hora já devia estar sabendo que eu tinha aprontado. Eu já até imaginava o que ele ia falar.

‘Outra vez, Bella? E logo no primeiro dia de aula? Você não tem jeito mesmo.’

Eu sorri, ao lembrar de todas as discussões que tivera com Charlie. Apesar de tudo, eu o amava demais, ele era tudo que eu tinha na vida.

Quase ponho meu coração pela boca ao levantar a cabeça e dar de cara com um par de lindos olhos azuis da cor do céu, me olhando com curiosidade.

Bella... Já que vamos ter que passar duas horas nessa sala de detenção e, realmente não estou muito a fim de conversar com a Srta. Calwin, eu resolvi tentar me redimir e pedir desculpas para você. Eu não deveria ter falado aquilo tudo para você, sabendo que você é esquentada desse jeito.” ele falou e eu lutei para não escancarar a minha boca, completamente embasbacada.

Edward Cullen pedindo desculpas para mim? Onde é que eu tinha deixado a minha câmera? Aquilo merecia ser registrado.

“É, realmente ficar aqui duas horas trancados, sem falar nada ia me matar de tédio. Bom, já que você desculpou, eu vou fazer esse sacrifício. Senta aqui, Edward.” sibilei, apontando a cadeira do meu lado.

Ele deu um sorriso torto e depois se sentou do meu lado. Eu esbocei um sorriso, nervoso e comentei:

“Já percebeu que é a primeira vez que a gente troca algumas palavras que não sejam ‘Idiota’, ‘Babaca’, ou coisas do tipo? Isso é tão estranho.”

Edward sorriu e olhou para a secretária, que estava estranhando nos ver tão pertos um do outro. Vai ver que ela pensava que a gente estava esperando apenas um deslize dela para começarmos a rolar no chão, nos estapeando como dois selvagens.

Eu vi que Edward me encarava, curioso. Olhei de volta, completamente fascinada por aqueles olhos.

“ O que foi?” perguntei,enquanto ele soltava uma risada, me deixando confusa.

“Nada, é só que toda essa situação é um tanto.. hum.. engraçada. É a primeira vez em anos que sento perto de uma menina e converso com ela sem que ela não tenha um ataque e caia no chão.” ele falou e caiu na gargalhada em seguida.

Pois é, mas mal ele sabia que eu estava quase tendo um ataque cardíaco. O cheiro dele era maravilhoso, uma fragrância exótica e muito masculina. O jeito como sorria, entortando os lábios, me fazia ficar sem ar.

“É, deve ser difícil ser o gostosão o tempo todo não é?” perguntei, rindo. Eu estava quase fazendo xixi nas calças. Não era a garota que costumava conversar com os garotos.

Não sabia como me comportar, como falar, eu não sabia nada. E agora o cara mais sexy da escola estava conversando comigo, mesmo depois de eu ter socado a cara dele com prazer.

“Acho que é tão difícil quando bancar a durona o tempo todo, não é mesmo?”revidou e eu revirei os olhos. Estava bom demais para ser verdade.

Olha só, eu já saquei tudo, tá legal? Você veio aqui para ver se eu pedia desculpas a você. Tudo bem, tudo bem. Me desculpe, Ó Lorde Edward.” ironizei, imitando uma reverência. Ele agora me olhava confuso. “Então, por que você não levanta esse seu traseiro e some da minha frente?” emendei, começando a bufar de ódio.

Edward me olhou por um bom tempo e depois rompeu o nosso silêncio com uma gargalhada.

“Você é única, Bella, desconfia até da própria sombra. Eu vim aqui com a melhor das intenções pedir desculpas e você me trata desse jeito? Você realmente é muito estranha. Mas sabe que eu gostei disso? Acho que podemos ser amigos, o que acha?” ele me perguntou, estendendo a mão para mim.

Eu o encarei, pasma. O que ele era afinal? Desde quando ele brincava com o perigo desse jeito?

Bufei e respondi:

“Olha aqui, seu playboyzinho de merda. Ou você evapora da minha frente, ou eu juro que eu vou deixar mais uma marquinha nesse seu rostinho. E aí? Quer pagar para ver?”

Minhas mãos estavam fechadas em punho tamanho era a raiva que tomava conta do meu corpo naquele momento.

Ele se levantou e sorriu:

“ Não vou desistir de ser seu amigo, Bella. Gostei de você. Podemos marcar para sair qualquer dia desses. Ah,” - já se afastava do lugar onde eu estava, mas parou e se voltou para mim, me encarando, seu sorriso era cínico. – “Esse seu tipo cai muito bem. Sempre fui chegado a garotas esquentadas. Elas são sexies.” – deu uma piscadinha e depois voltou para o lugar onde estava sentado, bem longe de mim.

Eu fiquei ali, em choque.

O que tinha dado naquele garoto pra agir do jeito que agira?! Só pode ter sido culpa do soco que eu lhe dera, era a única explicação plausível.

A não ser que ele...

Claro, era tudo um plano pra me irritar! Mas que filho da pu-

Soquei a mesa onde eu estava sentada, bufando de raiva. Ele ia pagar por todas as gracinhas que fizera.

Edward Cullen mal perdia por esperar!

 

E o capítulo 2 está aqui tb!! Enjoy! 

;*, Ana.



Capítulo 1 - O Reencontro
13h25|

“Ah, de volta ao inferno de sempre.” Esse foi o primeiro pensamento que me ocorreu, ao estacionar minha velha picape em frente ao prédio da diretoria da Forks High School. Eu odiava aquele lugar, assim como odiava as pessoas que estudavam lá. Nunca fui do tipo que tinha muitos amigos. Eu sempre fui a garota mais temida da escola no jardim de infância, aquela que roubava o lanche das crianças menores. sei que isso é meio deprimente, mas eu era assim quando tinha 4 ou 5 anos. Fazer o que?

Meu pai tentou de tudo comigo. Sim, com 6 anos eu fiz minha primeira sessão de terapia. Não ajudou muito. A psicóloga quase tem uma síncope ao perceber que era hiper ativa. Tomei alguns remédios controlados(ou melhor, achavam que eu tomava esses remédios) mas a verdade é que eu depois de um tempo eu descobri como era legal ver o comprimido rosa descendo pela descarga da privada. Era uma sensação boa.


Depois de um tempo, Charlie percebeu que a ajuda dos homens não fazia efeito, eu continuava aprontando das minhas. Foi aí que alguém indicou a ele a terapia da igreja. Talvez só Jesus me salvasse. Isso foi o que a mulher de um amigo do meu pai lhe dissera. A mulher era uma beata que vivia batendo ponto todo santo dia na igreja.

E como Charlie estava desesperado por ajuda, lá fui eu, em pleno domingo de manhã cedo, obrigada a usar vestido e tendo que ouvir um sermão quilométrico do pastor.
Ao final, ele gritava na minha frente, mandando o demônio sair do meu corpo. Eu o encarava, incrédula. Se tivesse algum demônio perto de mim, ele já estaria longe, provavelmente com os ouvidos doidos de tanto que o pastor gritava.

Depois disso, o pastor garantiu ao meu pai que eu estava livre dos demônios. Voltei pra casa e saí contando as novidades aos meus amigos. Acabei fazendo uma sessão de exorcismo no jardim da minha casa, gritando na cara das outras crianças, expulsando os demônios que haviam nelas, assim como o pastor fizera comigo. Charlie viu o que eu estava fazendo e me castigou.

Uma semana sem ir para rua.

Mas dois dias depois ele desistiu de me punir, ao ver que eu estava quase enlouquecendo por ficar trancada. Ele sofria, pois os “demônios” tinham voltado a me atormentar. E foi assim durante muito tempo, até eu perceber que já tinha aprontado demais. Mas isso só aconteceu quando eu completei 13 anos.

Eu sorri enquanto pegava minha mochila de dentro do carro, batendo a porta com força. Nessa época eu comecei uma nova fase da minha vida.

Charlie, para variar, achou que eu não estava em meu juízo perfeito. Eu comecei a me vestir de preto, só queria ficar trancada no quarto, escutando um rock bem pesado, enquanto viajava na batida do som. Essa foi a minha fase gótica.

Meu pai não entendia a minha mudança de comportamento, de uma fase histérica eu tinha passado direto para a fase introspectiva. Assim, sem mais nem menos.

Eu não o entendia. Ele era exigente demais para o meu gosto.

Como todas as fases da vida, tudo passa. E essa minha fase gótica passou também. Mas eu ainda carrego essas fases da minha vida comigo. Da minha época endiabrada eu ainda guardo as cicatrizes nos braços, nas pernas e algumas na cabeça.

Da minha fase gótica, eu ainda tenho alguns brincos nas orelhas e um piercing na sobrancelha, o qual Charlie odeia. Estava tentando convencer Charlie a me deixar fazer uma tatuagem, em troca eu tirava o piercing que ele tanto odiava. Mas ele odiava ainda mais tatuagem.

Não via a hora de ir para a faculdade e fazer o que eu bem entendesse.

Assim que entrei no prédio onde ficava a minha sala, eu o avistei. Era alto, os cabelos cor de bronze penteados despreocupadamente, seus olhos de um azul profundo faziam todas as meninas tremerem nas bases.

Ele era meu inferno particular, o demônio que fora enviado para azucrinar a minha vida. Edward Cullen, o garoto mais cobiçado de Forks.

Minha relação com Edward nunca foi das melhores. Ou melhor nunca houve nada de bom na nossa relação.

Nos conhecemos na escola há exatos 12 anos atrás. Eu estava na minha fase ovelha negra de ser. Edward era um garoto mimado que queria toda a atenção voltada para si. Nós tínhamos 5 anos. O nosso primeiro encontro foi uma briga histórica.

Ele sentou na minha mesa na sala de aula. E eu não admitia isso. Na hora do intervalo, eu o peguei, nós dois rolamos no chão, parecendo dois selvagens. Quebrei o braço dele, depois dele ter me dado um soco no nariz.

Resultado: nós dois fomos parar na enfermaria e ficamos suspensos por 3 dias. Voltei para a escola com um curativo no nariz e Edward com o braço engessado. Desde então nós nos odiávamos.

Agora ele passava do meu lado e fingia que não me via e eu agradecia por isso. Já não estava mais naquela fase de sair socando todo mundo. A terapia me ensinou a conversar ao invés de usar a força bruta e eu tentava seguir isso à risca, para não decepcionar Charlie.

Entrei na sala de aula e sentei no lugar de sempre. Edward era da minha sala e sentava numa fileira paralela à minha. Mesmo nos conhecendo há muito tempo, não trocávamos nem sequer um bom dia.

A aula transcorreu normalmente, um tédio como sempre. Mas eu encarava aquilo com paciência, afinal esse era meu ultimo ano naquela escola. Em 12 meses eu me mudaria de Forks e finalmente seria livre para fazer o que me desse na telha.

Na hora do intervalo encontrei com os meus amigos, na verdade eu não tinha muitos amigos. Mas havia três pessoas daquela maldita escola cheia de idiotas com quem eu gostava de andar: Mike Newton, um nerd metido a hippie que sonhava um dia ver os povos reunidos, celebrando a paz. Pois é, eu também estranhei quando percebi que ele era nerd e hippie.

Mike era muito inteligente e eu sabia que ele seria aceito com facilidade em qualquer universidade que se inscrevesse. Queria ser cientista e vivia dizendo que iria descobrir a cura para uma doença e ia morar em um trailer. É, eu sei, ele não era muito normal, mas mesmo assim eu gostava da companhia dele.

Tinha também a Angela Weber, uma menina calada, que preferia viver em seu próprio mundo a compartilhar alguma idéia com a gente. Mas quando ela abria a boca, sempre havia alguma coisa que nos surpreendia. Era ela que resolvia os problemas de matemática mais complexos, aqueles que nem Mike conseguia resolver. Quer dizer, ele até conseguiria resolver, mas tinha dias que ele se fechava em um retiro espiritual e fazia greve de fala pelo dia inteirinho.

Aí Angela entrava na jogada, ajudando a gente com os problemas mais cabeludos de álgebra. Ela me lembrava a Velma, do Scooby Doo. Mas eu nunca tinha falado aquilo para ela. Sei lá, né? Vai que a garota fica magoada.

A ultima pessoa que formava o meu grupo mais que estranho era Alice Cullen. Pois é, ela era irmã do idiota do Edward.

Alice era a mais sensata dos Cullen, por isso era rejeitada pelos seus irmãos. Éramos unha e carne. Desde sempre.

Apesar dela ser mais nova do que eu, tinha só 16 anos, nós nos dávamos muito bem. Foi ela que me ajudou a fazer o piercing escondido de Charlie, me levando até Port Angeles no carro do seu primo maluco, Emmett. Ela era a irmã que eu nunca tive e ela sabia que eu a adorava.

Nós não falávamos muito sobre essas coisas de amizade e tudo mais. Mas ela sabia que eu a considerava como minha melhor amiga e eu sabia que a recíproca era verdadeira.

Alice era a mais nova dos Cullen. Além dela, havia Edward e Rosalie, que já estava na faculdade.

Rosalie era a boneca de porcelana dos Cullen. Ela mais parecia uma Barbie, andava toda produzida, parecia artista de cinema. Alice não tinha uma boa relação com Rosalie. As duas viviam em pé de guerra.

Eu estava perdida em meus pensamentos e nem percebi que Mike falava comigo.

"Bella,acorda mulher, você não respondeu a minha pergunta." ele falava estalando os dedos na frente da minha cara.

Eu o encarei e depois bebi um pouco do meu refrigerante.

"Fala Mike, repete a pergunta, eu tava viajando mesmo, desculpa." sibilei, dando uma olhada no refeitório lotado.

"Perguntei o que você fez durante as férias." ele repetiu e Alice me encarou, confusa.

Ela nunca tinha me visto tão quieta. E eu devo admitir que eu também estava surpresa com meu comportamento.

"Ah, fiz muitas coisas, Mike. Cortei a grama do jardim de casa e a dos vizinhos da minha rua. Cuidei de três pentelhos da rua paralela à minha por uma semana. Trabalhei no supermercado,como você sabe e nas horas vagas eu li alguns livros que nós vamos usar durante esse ano letivo." enumerei, meio entediada.

Minha vida não era nenhum filme de ação. Às vezes eu a achava monótona demais.

"Uau, Bella. Quantas coisas maneiras. Sobrou alguma coisa legal para você fazer durante esse ano?"- Mike comentou, rindo.

"É, tem algumas coisas sim, mas eu estava esperando um idiota perguntar. Que tal se eu quebrar a sua cara, hein, Newton?" – ameacei, olhando para ele.


Ele ficou na defensiva e depois recuou:

"Calma ae, Bella. Olha a promessa que você fez pro seu pai. Conversa sim, Bater não."

"Tá Mike, não me enche o saco, por favor." pedi, brincando com um pedaço de pizza,sem vontade de comer.

Alice me olhou, ainda confusa e depois me perguntou baixinho.

"Algum problema, Bella?" – eu balancei a cabeça, negando. – "Por que todo esse mau humor então?"

Eu suspirei e percebi que nem eu sabia o motivo.

"Ah,sei lá, Alice. Eu to meio cansada de tudo, sabe? Tô cansada dessa cidade idiota, dessa escola de merda, tô cansada da minha vida medíocre. Eu quero viver, sei lá, quero mudar. Não vejo a hora de ir para a faculdade. Tô trabalhando que nem uma escrava pra juntar grana para pagar meu curso no ano que vem. Sei que Charlie abriu uma conta no meu nome e sempre deposita dinheiro lá, mas eu quero andar com as minhas próprias pernas, sabe?" desabafei.

Ela sorriu e concordou com um aceno de cabeça.

"Eu entendo você. Edward está ficando louco também, pensando nisso. Ele vive falando com o Emmett sobre as coisas da faculdade. Emmett e a Rose estão curtindo muito estudar em Havard e Edward não vê a hora de se mudar para lá também." ela falou e eu me arrepiei ao ouvir o nome dele.

E falando no diabo, eis que ele aparece. Edward surgiu no refeitório ao lado da sua turminha de playboys idiotas e de patricinhas fúteis que só pensavam em marcas de roupas e estojos de maquiagem.

Todos se voltaram para o bando que ele liderava, inclusive a minha mesa. Eu continuei de cabeça baixa, odiava encarar aquele imbecil que por tantos anos me enchia a paciência.

Lembro da época que comecei a fazer boxe no colégio. Eu chutava o saco de areia imaginando que era a cabeça de Edward. Era uma terapia e tanto.

Edward agora estava sentado em uma mesa reservada aos populares da escola, ninguém ousaria sentar naquela mesa. Ele estava agarrado a uma loirinha cabeça de vento que só faltava babar quando olhava para ele. O nome da vez? Jessica Stanley.

Eu conhecia Jessica, assim como todo mundo daquela escola, desde o jardim de infância. Nós éramos amigas até a 5 ª série, quando o pai dela ganhou na loteria e se tornou o mais novo rico de Forks.

Jessica mudou da água pro vinho, se transformando em uma patricinha mimada, cabeça oca e bastante prepotente. Assim como Edward e os amiguinhos dele sem cérebro, ela me ignorava totalmente. Jessica e Edward namoravam há cerca de um mês. E eu sabia que o namoro deles não duraria muito tempo.

O motivo? As namoradas de Edward tinham prazo de validade.

Uma menina passou do lado dele e só faltou cair para trás ao ver que ele lhe lançara, de relance, um olhar. A garota ficou zonza e quase esbarra em uma coluna.

Coitada, eu pensei.

Dez entre dez meninas da Forks High School adoravam Edward Cullen e seriam capazes de lamber o chão onde ele pisa para receber uma migalha de atenção.

Todas, sem exceção.

É, é isso mesmo, eu não era muito diferente das meninas da minha idade. E sim,eu era afim de Edward, assim como todas as garotas de Forks.

Mas a diferença era que eu não podia gostar dele, não podia ficar suspirando pelos cantos, escrevendo nossos nomes na ultima folha do caderno. Ele era meu inimigo e eu não podia gostar dele. Por conta disso, toda vez eu ficava próximo a ele, tentava não encará-lo, não gostava de ficar olhando aquele rosto perfeito, aqueles olhos que pareciam uma piscina, aquela boca vermelha.

Eu era bem vulnerável quando o assunto era Edward Cullen. Nos meus sonhos mais secretos me imaginava com ele, ao invés das suas namoradinhas fúteis.

Mas eu sabia que isso nunca, nunca, nunca ia acontecer. E eu podia conviver bem com isso, desde que eu me mantivesse longe dele o máximo possível. Ninguém precisava saber que eu guardava uma paixão secreta por Edward Cullen. Eu não era muito acostumada a lidar com essas coisas do coração.

Por isso, eu preferia continuar com aquilo que eu sabia lidar: Edward era meu inimigo e era melhor que continuasse assim.

Nessa hora eu acordei dos meus devaneios tolos, ficando surpresa ao ouvir Angela murmurar:

"Alice, seu irmão é um tudo de bom. Olha só praquilo tudo." minha boca se abriu em formato de "O", tamanho foi a minha surpresa ao ouvir aquilo. Não só minha, mas de Alice e Mike também.

"É, Angela, ele é bem popular mesmo. Tão popular quanto Rosalie fora." Alice falou, meio constrangida.

Rosalie era tida como modelo ideal da beleza feminina. Era ela que estrelava todas as campanhas publicitárias de tudo que se vendia em Forks. Rosalie tinha um fã-clube na escola que a considerava uma deusa.

Entenderam o motivo do meu desespero em querer sair desse maldito lugar? Era futilidade demais por quilômetro quadrado. Eu me sentia uma alienígena ali.

"Alice, será que você pode me apresentar para ele qualquer dia desses?" Angela perguntou e eu a encarei surpresa.

Só Edward Cullen mesmo para fazê-la falar mais do que uma frase. Aquilo era realmente um choque.

"Claro, Angie, qualquer dia desses." Alice sibilou, começando a ficar vermelha de vergonha.

Ela odiava a popularidade dos seus irmãos. E era por isso que andava com a gente. Nobres estranhos que ficavam separados da elite da escola.

"Ai, me poupe, Angela." – eu soltei, incapaz de me conter. – "Francamente, até você? Já não basta eu ter que aturar todas essas cabeças idiotas pensando em Edward Cullen 24 hs por dia, ter que ouvir os suspiros de cada uma quando Edward passa por elas, mesmo que ele nem as note? Isso é demais para mim. Edward não passa de um playboy idiota que adora humilhar as pessoas. Não sei como Alice pode ser irmã dela, ela é a única que se salva da família. Você deveria se preocupar com coisas mais interessantes, ao invés de se juntar a essa bando de cretinos que só sabem conversar sobre o que Edward pensa ou deixa de pensar. Eu não sei que tipo de conversa eles têm, já que é meio difícil imaginar aquele boneco de porcelana pensando em alguma coisa."

Edward me fazia liberar o meu lado obscuro.

Todos me encaravam surpresos e assustados, inclusive Alice. Eu não estava entendendo nada, por que aquelas caras, eu num tinha dito nada que a ofendesse, tinha?

Foi aí que eu percebi que eles não estavam olhando para mim e sim, olhando para o que estava atrás de mim. Fechei meus olhos, já prevendo quem ali. Me virei lentamente, encontrando aqueles olhos inconfundíveis.

Nos lábios, havia um sorriso torto que me fez ficar sem ar. Ele me encarava atentamente e depois falou:

"Uau, não sabia que falavam tão bem de mim por essas bandas daqui." ao ouvir isso, eu quis me enterrar. Me amaldiçoei por ter a língua tão solta.

Eu não queria começar uma guerrinha novamente com Edward. Charlie não merecia passar por tudo que passara durante a minha infância.

Dei um longo suspiro e o encarei, seus olhos cravados no meu rosto, me avaliando com curiosidade.

Era hora de enfrentar o demônio, pensei.

Espero que tenham gostado pessoas... e se gostaram, contem aos amigos! 

Beijoo, Ana (dona Li anda meio sumida né?! - é o feriado...)



13h22|

E vamos começar essa fic logo! Chega de enrolação... aee! o//

Alguns avisos:

 

-Todos são humanos;

- Pov da Bella e do Edward;

- Alice é irmã mais nova do Edward, Rosalie é a mais velha. Emmett é primo deles. Rose e Emm já estão na faculdade, raramente aparecerão.


 

 



Sinopse da Fic
15h30|

Eia genten!! Depois de mil anos sem postar nada, cá estou eu outra vez!!

Depois de muuito conversar, eu a Li decidimos que vamos postar a fic aqui sim, mesmo ela contendo alguns trechos impróprios. As crianças inocentes, por favor fechem os olhinhos nas partes proibidas, que serão escritas em outra cor...

Pra começar o aquecimento para a fic, aí vai a sinopse:

Isabella Swan nunca foi uma menina como as outras de sua idade. Ela sempre fora criada por seu pai, o chefe de policia Charlie, com quem morava desde os 5 anos de vida, após sua mãe casar de novo e se mudar para a Europa. Por ter sido criada por seu pai, Bella, como gostava de ser chamada, tinha um comportamento diferente das outras meninas.

Bonecas? Ela arrancava a cabeça e tocava fogo.
Vestidos? Amarrava nos meio das pernas para poder subir em árvores.

Não gostava de coisas que meninas gostavam. Odiava brincar de casinha, ou de coisas do tipo. Seu passatempo preferido era correr pelo gramado do vizinho, puxando o rabo do cachorro. Por conta do comportamento inconstante de Bella, Charlie sempre tinha que responder pelas brincadeiras da filha.

Na escola não era diferente. Bella era levada à diretoria infinitas vezes, tudo porque brigara com uma amiguinha, ou tinha saido no tapa com algum amiguinho seu. Geralmente era O amiguinho, Edward Cullen, o inferno pessoal de Bella.

Os dois brigavam feito cão e gato. Foi ele quem a apelidara de todos os nomes esdrúxulos que ela já ouvira na vida. Cresceram juntos e se odiavam mortalmente. Bella já tinha quebrado o braço de Edward, depois dele ter lhe dado um soco no nariz. Os dois agora se encontravam no último ano da tinham 17 anos, suas vidas eram totalmente diferente uma da outra. Bella trabalhava para juntar dinheiro para sua faculdade. Edward esbanjava o dinheiro de seus pais mortos, com muita bebida, festas e sexo.

Um boato surge na escola, fazendo com que a vida desses dois se cruzem novamente, reacendendo intrigas da infância e despertando novos sentimentos. Sentimentos capazes de mudar a vida dessas duas pessoas tão diferentes.

 Beijinhos, Ana Banana



Novo still de "Lua Nova"
15h04|

Saiu mais um still de "Lua Nova", dessa vez do nosso casal principal no quarto de Bella. Essa parece ser a cena de quando eles voltam de Volterra, o que vocês acham?

 

Amei a maquiagem do Edward!

 

ROBeijos, Li



Luisana NÃO participará de Eclipse
08h04|

Apesar dos rumores, a Summit comunicou que Luisana Lopilato não fará o papel de Tanya em Eclipse. Os rumores começaram a surgir porque Luisana estava em Vancouver (onde o filme está sendo gravado) junto com o namorado canadense Michael Bublé, mas são totalmente falsos.

A Summit disse ainda que provavelmente Tanya não estará em Eclipse, já que "não é um personagem falante do terceiro livro da série."

Pelo visrto ainda não temos nossa piriguete loira morango... Sugestões? (:



Novidade no La Push!
14h38|

Bem gente, como todo mundo já deve ter percebido, falta de notícias relevantes no mundo TWG é mato. Então, para mantermos o blog sempre com novas coisas (sem ter que recorrer à notícias inúteis dos atores), eu e a Li decidimos postar uma fan-fiction aqui. Como eu já tinha comentado em outro post, as fics são a moda entre os leitores de Twilight (e também entre os leitores de Harry Potter, fãs do McFly... enfim, todo mundo gosta).

Depois de pensarmos por um bom tempo em qual fic se encaixaria com o jeito do nosso blog, acabamos optando por "A Hell Called Edward Cullen". A Marcella (que é um doce), gentilmente nos deu permissão para postarmos aqui sua fic, que é uma comédia apimentada com bons lemons err.. cenas de sexo . Então, se você já tiver 15 anos ou mais (normalmente a censura seria 17, mas 15 já tá bom demais), venha se divertir com a gente!! que frase mais clichê ¬¬' 



Luisiana Lopilato confirmada!
13h59|

O portal argentino Primicias Ya declarou que a presença de Luisiana Lopilato está confirmada na saga.

Como já havíamos informado, a loira interpretará Tânya Denali também conhecida pela vagaba que dava em cima do Edward.

Eu já dei minha opinião no post anterior... mas e vocês? O que acham dela?

 

Kisses, Ana



A maquiagem da saga foi lançada!
14h23|

Finalmente a linha Twilight Beauty foi lançada! Agora já é possível comprar as belíssimas maquiagens das linhas Luna Twilight e Volturi Twilight. O único problema é que os produtos ainda não estão disponíveis para venda no Brasil, e também não há previsão de quando isso acontecerá. O jeito é cruzar os dedos e torcer pra que isso aconteça logo ou agradecer por ter sido salva de uma provável falência.

Se quiser ver os outros produtos, o site é http://twilightbeauty.com

Amei tuuudo! Já sou louca por maquiagem, inspirada na saga então? Tomara que comecem logo as vendas para o Brasil!



Fotinhas oficiais do elenco...
20h00|

MELDELS!! Só eu reclamar da falta de notícias decentes e aparece um monte de coisa novaa!! acho que vou reclamar mais

Hoje foram divulgadas as primeiras fotos oficiais dos Volturi, e eu tenho que dizer que morri com elas! A caracterização dos personagens ficou muito (com o perdão da palavra) fodaa!!! Realmente bateu um medinho ver todos aqueles vampiros de olhos vermelho-brilhantes... mas, antes que morram de curiosidade, tão aí as fotos: 

Em ordem, temos Jane (Dakota diva); Alec (Cameron gato); Aro (medinho do Michael Sheen); Caius (nem parece o Jamie) e Marcus (O Christopher realmente conseguiu fazer a cara de tédio/sofrimento do Marcus).

Daqui a pouco mais coisinhas que saíram hoje!!

Beijinhos, Ana

 



Tanya Denali?
21h42|

De acordo com um site argentino, a Summitt já escolheu a atriz que interpretará Tanya bitch nos cinemas. A moça em questão é Luisana Lopilato, namorada de Michael Bublé, que é o melhor amigo do Leo DiCaprio. 

Fontes dizem que Lu (olha a intimidade!) aterissou em Vancouver, onde está sendo filmado Eclipse, para que pudesse conversar com David Slade o careca que dirige Eclipse

Particularmente, achei ela uma graça; mas sei que não vou me apegar muito à essa primeira impressão, devido ao papel que ela fará nas telonas... (não, eu não gosto da Tanya). Enfim, ela é muito bonita, isso não dá para negar... mais informações sobre a argentina (além de fazer a Tanya, ainda tinha que ser Argentina?) no fan-site dela: http://www.lopilatoluisana.com/

Fonte: Foforks

Beijinhos, Ana

ps.: sei que quase não temos postado, mas não e culpa nossa... a falta de notícias está nos deixando loucas!

 



Gloss Labial Twilight Venom foi lançado! o//
08h59|

Mah ôe! Agora você já pode ter os lábios vermelho-sangue, assim como as vampiras e os vampiros de Twilight!

O gloss labial Twilight Venom da marca de cosméticos americana DuWop já está à venda - pela internet. Como a essa altura todo mundo já deve saber, o produto vem em um escuro tom de vermelho que pode ficar mais ou menos intenso à medida que você o sacode. Além disso, o gloss também hidrata os lábios.

Custa cerca de U$16,00 (mais ou menos 32,00). Comprem já o seu! ;)

Beijinhos, Ana e Li.



Novos bonecos inspirados na saga
15h07|

Como o dia começou fraco de notícias, que tal ver os novo bonecos inspirados nos atores da saga?

Na minha opinião são mais bonitos do que os bonecos do primeiro filme, adorei o Jacob... Mas tenho certeza de que terei pesadelos com essas Bella's dos infernos de ambas as fotos. Além disso, o preço é bem salgadinho: os bonecos da segunda foto custam em torno de 133 dólares. Se você for doido quiser comprá-los, eles estarão disponíveis no dia 1 de outubro na Amazon.

 

;*, Li